Casar e morar junto.

 

Casar e morar junto são duas coisas completamente diferentes. Não tem nada a ver com seu status no cartório. Tem a ver com entrega. Você pode casar com todas as honras, dar uma festa linda, gastar os tubos na Lua de Mel, se mudar com o marido para um apartamento lindo, pronto e decorado, cheio de almofadas em cima da cama. Vocês podem ter se casado – mas vão demorar muito pra saber o que é morar junto. Acho que existem casais que se casam  e nunca talvez tenham realmente morado juntos. Morar junto é saber dividir, saber cobrar, saber ceder, saber doar. Morar junto é dividir as contas e as almas. Morar junto é ter um pilha de louça pra lavar depois de um dia terrível de 10 horas de trabalho e o outro cantar com você para que, em um karaokê com detergente o trabalho, se torne divertido. Morar junto é ter que assistir à um filme que você não está tão a fim, porque é a vez do outro escolher a programação e se esforçar para achar legal. Morar junto é tomar banho junto, transformar o chuveiro em uma cachoeira. Morar junto é ouvir onde dói no outro, do que ele sente medo, onde ele é criança, o que o deixa frágil. Morar junto é poder chorar sem parar e ser ouvida e cuidada. Mas é também rir e achar graça em alguma coisa quando o outro está pra baixo. Morar junto é fazer contabilidade de frustrações e saber quando não colocar na conta do outro. Morar junto é demorar para levantar.
Morar junto não precisa de uma casa e sim de um espaço. Quem mora junto geralmente é solidário. Casar não, qualquer um casa. Para casar basta assinatura e champanhe. Casar leva umas horas, morar junto leva tempo, o tempo todo.
Quando moramos juntos vemos o cabelo dele crescer e ela cortar uma franja. Quando moramos juntos viramos adultos aos pouquinhos, dando um adeus doído ao adolescente que éramos. Quando moramos juntos mudamos juntos. E o outro vira um outro diferente com os anos. E nós vamos aprendendo a amar aquela nova pessoa, todo dia.


Os "terríveis" três.

... Depois do resultado positivo, depois do ultrassom, depois de você descobrir que sim, isso esta acontecendo com você, começam os sintomas típicos e terríveis da gravidez, os enjoos e vômitos!! arrgg... Não consigo nem se quer lembrar que já me embrulha o estomago.
Eu brincava com as pessoas que eu conheço dizendo que sempre tive muito dificuldade pra vomitar, sempre tinha que forçar se fosse necessário vomitar.
APOIS! Eu descobri o que é vomitar, de verdade, as vezes não dava nem tempo de chegar no banheiro!
O olfato fica um milhão de vezes mais apurado, eu não sabia nem que óleo fritando tinha cheiro, mas tem, e meu bebê não aprovava esse cheiro, de forma alguma, rs.
E a hinodê? (marca de perfume); Se eu pudesse eu mandava banir essas essências, e coincidentemente esses perfumes estão na moda e todo ser estava usando esse bendito perfume, que era só passar pelo ar que já acabava comigo.
E se já não bastasse vomitar mil vezes por dia, eu tenho desvio de septo, Ou seja, saia pela boca, pelo nariz, eu lacrimejava, meu Deus! um horror!
E a internet e me deixou apavorada. Eu li, em várias fontes que esses enjoos poderiam durar a gravidez INTEIRA!
Mas foi completar os benditos três meses, que eles amenizaram! GRAÇAS A DEUS.
Existem algumas mulheres que nem se quer passam por esses enjoos e náuseas. Queridas, que ódio de inveja de vocês, rsrsrs! Mas quem disse que ser mãe é fácil? Pois é, essa é só a fase 1...
Então, para as futuras gravidinhas, ou gravidinhas que estão passando por isso, que é muito incomodo, vou dar umas dicas do que me ajudou um pouco!
1.É terrível, eu sei! Mas tente manter o estômago sempre com alguma coisa, nunca vazio, isso piora mil vezes as nauseas
2. Não beba liquido durante as refeições, podem causar os refluxos e influenciar a ter mais enjoos
3. Coma frutinhas
4. Beba muita água
5. Não se deixe influenciar por tudo de ruim que lê na internet.

Bom, é isso! mantenha a calma, vai passar! E se por um acaso não passar, amiguinha! lembre-se que é por um bom motivo, é pelo seu milagre que está ai dentro e precisa desde esse comecinho se sentir amado!

Contando pro mundo!

video
Foi desse jeitinho que resolvemos anunciar para as pessoas que eu estava com um milagre dentro de mim!

Entregando o coração

... E então passou uma semana e fomos fazer a ultrassom, e foi então que descobri que logo eu, dona dos argumentos, blogueira, tagarela, me calei diante daquele pulsar!
Estava lá, parecia até um cavalo marinho! rs
O cavalo marinho mais lindo que já vi. E uma música descreveu exatamente o que eu senti naquele momento: "Ouvir seu coração pela primeira vez, deu nova pulsação pro meu coração, saber que você estava bem ali, me deu razão pra sorrir." E meu noivo com os olhos cheios de lagrimas de amor me fez crer que já éramos uma família e que Deus só tinha me dado um presente pra ser grata.
Saí daquele consultório apaixonada por aquele grãozinho, mais apaixonada ainda pelo meu noivo e futuro marido, pai do meu bebê.
Saindo de lá, o nosso frutinho já tinha nome se fosse menina ou menino, Já tinha padrinhos e os avós mais apaixonados desse mundo, e ao meu redor só tinha amor! e dentro de minha agora tinham dois corações.
Eu estava com apenas 5 semanas de gravidez. (Descobri muito cedo, pois tomava remédio, então ao intervalo do anticoncepcional a menstruação não descer, descobri logo, o que aconteceu foi uma inflamação de garganta e uso de antibióticos muito fortes que anularam o efeito do anticoncepcional, então meninas, se vocês não estão querendo ter um bebê por agora, fica mais essa dica!);
Então eu estava com essa pessoinha em mim há 5 semanas e meu coração parecia que ia explodir de tanto amor!

A descoberta


Eu sempre pensei, idealizei, inclusive já tinha até pesquisado no youtube jeitos fofos de contar ao papai a chegada do novo filhotinho.
Eu já estava noiva algum tempo, planejando o casamento, terminar a faculdade e ai sim, ter um bebê.
Mas os caminhos da nossa vida e milagres como a vinda de um filho sempre é planejado por Deus, muito antes de nós e comigo não foi diferente. Só que no meu caso, tinha sido planejado somente por ele, rs.
Em meio a um semestre puxado na faculdade, estágios no Hospital Geral Cleriston Andrante, séries atrasadas, crise financeira no país... minha menstruação atrasou.
Lembro do frio da barriga enquanto aqueles dois tracinhos confirmavam que minha vida tinha mudado para sempre, lembro da voz do meu noivo no celular - MUITO FELIZ, bem mais do que eu esperava - dizendo que estava vindo me buscar para termos certeza através do exame de sangue, que demorava de quatro a cinco horas para ficar pronto. NOSSA! e eu já estava atrasada, tinha estágio me esperando, e entre uma injeção e uma aferição de pressão eu tentava me concentrar e não pensar nisso.
Ele chegou pra me buscar e lá mesmo, no estacionamento do hospital, com a roupa branca do estágio, eu li "REAGENTE".
Eu li, li de novo, e chorei! Não sabia muito bem ainda o porque. de eu estar chorando, um misto de desespero com felicidade, com medo, com confusão. E ele interrompeu o pânico, me abraçou e sem dizer uma palavra, como sempre me acalmou, me confortou em seus braços.
E foi assim que no dia 13 de setembro de 2016 às 18:46 que eu recebi a confirmação de que agora eu era responsável por mais uma vida!

Informativo !!

Como muita gente já sabe, estou grávida, vivendo uma fase completamente nova e inspiradora da minha vida!
Desde o começo da minha gestação vários leitores do blog me pediram para fazer um "diário de gravidez" gravado. Até pensei sobre o assunto mas minha onda são as palavras mesmo, rs.
Agora estou no segundo trimestre de gravidez, segundo minhas pesquisas (e minha experiencia pessoal) esse é o período mais tranquilo da gravidez, sendo assim atualizarei o blog agora com o meu diário de gravidez escrito, mas com a mesma essência de sempre do blog da Ponce que vocês já conhecem!
Vocês que me seguem algum tempo, acompanharam meu drama adolescente e agora com muita felicidade entro nessa nova fase da minha vida e vou dividir com vocês, como sempre foi!
EM BREVE POSTS NOVOS!

Laís Ponce

Consequência!


Queria dizer que eu conheci homens fiéis. Já conheci românticos, sonhadores, homens que se doaram muito mais na relação. Vi homem chorar por mulheres que nunca mereceram, vi a mulherada vacilando feio, iludindo, brincando com quem não merecia. Já vacilei também, nunca fiz as coisas por mal, mas já fiz mal, ainda que sem querer. O ser humano é egoísta, independente de sexo. Pessoas usando pessoas, relações sem nenhum laço. Eu já vi homens que ignoravam as investidas de meninas lindas, por amor. Eu vi, ninguém me contou. Canso de ouvir que sou uma feminista barata, mas eu passo longe disso. Sou justa. Admiro mulheres e homens, desde que saibam se portar como mulheres e homens. Odeio hipocrisia, covardia, submissão. Odeio quem ouve um idiota falar alguma besteira na padaria, acha legal e sai repetindo isso com toda a certeza de que é uma verdade absoluta. Não defendo um sexo, defendo o amor, valores. Me dói demais ver mulheres incríveis aturando um cara grosso e idiota, que não dá a mínima pra ela, só porque ela precisar estar junto a alguém. Queria que, de alguma forma, todas entendessem que felicidade não é ser dois, é ser. Queria que todas se vissem como eu as vejo, que todas entendessem o quão são especiais e agissem de acordo com isso, pensassem que alguém estar com elas não é um favor, é sorte. Também me dói ver homens sensacionais desacreditando com facilidade da ideia de ser feliz com alguém, só porque tentou com um alguém muito errado e teve o efeito contrário. Escrevo porque, apesar dos dias difíceis, quase impossíveis, eu acho que ninguém merece viver de portas fechadas, se afundando em si mesmo e em mágoas passadas. Mulheres culpando e criticando os homens, os homens culpando e criticando as mulheres, todo mundo se fechando pra não sofrer e o amor ficando sem espaço pra entrar. Porque se fechar é uma opção, mas você se fecha pra dor e pra felicidade também, isso é uma consequência.

Reamar!

Que a gente não precise de uma data no ano pra querer amar ou demonstrar nosso amor. Que a gente ame mesmo, ame muito, ame sem vergonha, sem medo e sem culpa! Mas que ame só enquanto valha a pena. Quando der mais dor de cabeça do que paz no peito, que a gente SE ame acima de tudo.
E, principalmente, que nunca se arrependa: amor a gente tem que dar pro outro mesmo, se não acumula muito e não cabe no peito. Amor PRECISA transbordar. Quem não sabe receber é que precisa se culpar. A gente que ama nunca perde, porque um sentimento desse sempre e só faz ganhar.
Amem e completem o ciclo de cada amor. Independente de como acabar, eu desejo que vocês nunca esqueçam o gosto doce de recomeçar! Amém e não contem as cicatrizes dos finais. Deixa curar. Não se permita virar refém de nenhuma dor que te impeça de recomeçar, reerguer e reamar. 

Sobre o dia dos namorados.

Me falaram assim: Eita, Laí. Dia dos namorados chegando, você noiva, esse texto vai ser "o"texto, já que deve estar inspirada.
Outra, simplesmente me pediu para postar o texto dias antes para poder "se inspirar" rs.
Então, pensando nisso, o texto de hoje não é só mais um texto romântico para o dia dos namorados. É mais uma dica, isso, uma dica.
Meninas, meninos, o dia dos namorados é a celebração do amor. Ok, devemos celebrar e alimentar o amor todos os dias se não, ele morre, de fome, de tédio... Porém, sem dúvidas essa data, 12/06 é a mais popular entre todas as outras datas para os amantes. Então celebre o amor e não o comércio.
Do que adianta comprar AQUELE bouquet de 100,00 de rosas vermelhas com bombons e ursinhos, se no seu whatsapp você não se lembra dela ao paquerar outras meninas?
Do que adianta gastar metade do seu salário, moça... Em um perfume caro, naquele relógio lindo que ele ia amar, se você também se interessa por outros perfumes que passam ?
O amor e o respeito tem de andar juntos, lado-a-lado. Procure dar presentes sem motivo, sem data, esqueça um pouco a internet, não poste o sorriso forçado, curta os momentos de gargalhadas juntos, escreva uma carta ou invés de um post no mural no Facebook. Roube uma flor e dê à ela, à ele. Ou melhor, não faça nada do que eu disse, faça o que quiser! Celebre o amor com amor.
No dia dos namorados, o presente principal não deveria vir em outra caixa a não ser a toráxica, rs. De preferência pulsando, saltando e fazendo as mãos se entrelaçarem e os olhos sorrirem.

No sofá.


Eu sempre tentei entender sua magia. Sei lá, queria saber o que me prende dessa forma absurda numa pessoa completamente oposta de mim. E talvez seja isso, né? Você chegou inofensivo e, quando dei por mim, minha vida já tava de cabeça pra baixo. Quando eu vi, já tava assim, você deitado no sofá, tirando o controle da minha mão, da minha vida. Abriu minhas gavetas, revirou minhas coisas, pegou meu caderno de regras e saiu riscando tudo, rei numerando e escrevendo novas regras. Que abuso. Quem você pensa que é? Quando fica desconfortável, vai mudando de posição, todo espaçoso, pegando mais uma almofada. Nem me pede. A realidade é que você tá acostumado com a casa, sabe andar de olhos fechados, conhece cada lugar de tudo. E eu tô acostumada com você por aqui, visitando com esse ar de dono, sabendo mexer nas coisas sem bagunçar e melhor, sabendo mexer na minha bagunça. Gosto da sua companhia porque, apesar dos pesares, ela é intensa e isso me fascina. Sentir o peso do seu corpo e ter a certeza que ali comigo tem mais que um corpo e só. Sempre te deixo entrar porque, mesmo quando você tá ausente, você tá lá, de alguma forma. E porque te expulsar exige mais que uma simples mudança da fechadura, é preciso mudar cada centímetro de tudo, cada pedaço de você infiltrado. E eu prefiro assim, minha cama com seu cheiro, você espalhado, o amor dos gestos, o amor nos beijos de bom dia.

Com açucar


Foi assim que nós nos encontramos, dessa vontade de ser de alguém todas as noites, desde as mais quentes até as mais frias. Todos os dias. Uma vontade mais forte que todas as decepções do passado, que os acasos anteriores. E ele tinha uma voz firme de quem sabe cuidar, voz daquele que diz: Talvez não seja nessa vida ainda, mas você ainda vai ser a minha vida. E foi, foi nessa vida. E que foi aprendendo, mesmo sem querer. Sei, no início pareceu loucura, mas foi real. Como se fosse um arco-íris, é uma doce surpresa no fim de uma tarde chuvosa. Não tinha como ser diferente, temos corações quentes, que viviam á procura de um amor que cuidasse da gente, que a gente cuidasse. Assim, poderíamos flutuar pelas nuvens. Tranquilos. Talvez nós dois já tivéssemos nascidos feito muito pra nós dois. Eu disse, talvez. Mas não importa como, ia acontecer, nós sabíamos. Em uma noite de muito carinho e amor, nada mais era vazio, palavras doces me envolviam, enchendo o meu sorriso de açucar. Teu peito, meu abrigo. E agora era meu o teu sorriso.

Valeu a pena.


O grande barato da vida é olhar pra trás e sentir orgulho da sua história. O grande lance é viver cada momento como se a receita da felicidade fosse o AQUI e AGORA! Claro que a vida prega peças. É lógico que, por vezes, o bolo sola, o pneu fura, chove demais. Mas... Pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia? Às vezes se espera demais das pessoas, normal. A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou, normal. Todos nós devemos transformar tudo em uma boa experiência. O nosso desejo não se realizou? Beleza, não tava na hora, não deveria ser a melhor coisa pra esse momento (me lembro de uma frase): "Cuidado com seus desejos, eles podem se tornar realidade". Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano. Não adianta lutar contra isso. Acredito que ou nos conformamos com a falta de algumas coisas, ou não nos esforçamos para realizar todas as nossas loucuras,se eu fosse você, tentaria realizá-las. Mas seja forte o suficiente para enfrentar os obstáculos; paciente para saber esperar o resultado; e capaz de reconhecer, no final de tudo, seu esforço e ver que ele não foi em vão. No final de cada jornada (a vida é cheia delas) olhe pra trás e enxergue uma vida maravilhosa, cheia de alegrias, viagens, sorrisos, amores, paixões, beijos, abraços, amigos, realizações, conquistas. Tenha inúmeros bons momentos dos quais relembrar; veja o por do sol e o seu nascer; tenha também momentos difíceis (eles nos ensinam a crescer). Tenha noites de insônia, daquelas que acabam virando momentos refletores da nossa vida. Tenha noites de poucas horas de sono, por causa daquela tão esperada festa, por causa daquela apresentação que você vai se sair bem na faculdade ou escola, por causa daquele carinha que faz seu coração acelerar porque ficou até tarde conversando sem parar. Ao olhar para trás veja que cometeu loucuras em certos momentos, mas que também tenha agido com consciência em outros... A vida precisa de um pouco de equilíbrio, afinal, quanto mais tempo passa, mais problemas temos que enfrentar.Chore quando for precisou desabafar aquela agonia incontrolável. Se sinta cansado, exausto de tanto pular, gritar, dançar e cantar.... E que no fim da noite você pense: VALEU A PENA!!

Sorvete

Se você já teve um sonho, só você pode julgar o valor dele.
Não importa se seu sonho é tomar sorvete, viver um amor, ficar rico ou ter um cachorro. Só você pode julgar se fez tudo para conseguir, só você pode dizer até onde consegue ir. Mas lembre-se: Se acaso, no futuro, vir tomando um sorvete, a pessoa que você amava com outra pessoa enquanto passeia com um labrador dos seus sonhos... tenha consciência que a escolha foi sua, os sonhos eram seus e foi você quem julgou poder desistir!
Busque realizar seus sonhos, não tenha medo de mudanças, vai valer a pena seguir seu coração, porque Deus nunca lhe daria um sonho que você não fosse capaz de realizar, porem saiba que Deus te deu somente as ferramentas, não adianta esperar Ele entregar em suas mãos porque as decisões são tomadas por você!
E então, qual seu sabor de sorvete favorito?

ME ABRAÇA!

Eu nunca disse que meu coração era uma maria-mole fora da geladeira, nunca pintei meus defeitos e qualidades, nem menti sobre a ironia extravagante que borda meus dias Mas você sabe que por mais que eu tente ser uma garota forte, falho sempre. É que dentro dos meus olhos sempre sobram emoções e jorram rios de lágrimas. Ah meu pedacinho de céu, eu nunca quis ser a mulher maravilha, nem de longe sonhei em me tornar de aço. Por trás dessa minha capa de má, existe ainda uma mocinha desprotegida pedindo colo Me abraça, por favor me abraça forte. Assim posso estar presa em teus braços e dentro desse teu peito que tanto anseio. Congela tua imagem de anjo em minhas pupilas. Deixa que o céu eu pinto com glitter e traço caminhos com nuvens em forma de letras. As nossas iniciais quem sabe. Dá febre estar amar assim. Essa paixão regada à sonhos de flautas e borboletas no estomago. Sejamos sinceros. Aqui dentro tem um coração que salta feito canguru quando você chega perto. Tua risada é a mais bonita do mundo. Sim, eu bebo tua alegria, disfarço quando tú cisma em querer impor normas nesse meu mundinho azul piscina. Eu quero enfeitar o clarão das manhãs com tuas mãos entre as minhas. Eu não quero ser garota do comercial de margarina, aqui na minha boca todo sorriso que brota é tão verdadeiro quanto as lágrimas que não disfarçam só de pensar em te perder, em te afastar mais uma vez. Eu quero mais é ter lindas tardes, lindas noites, lindos sonhos e sentir a vida latejando no peito, como quem grita para o mundo todo ouvir. Pro mundo todo ouvir que agora eu sou tua. Te quero perto, quero cinema, pipoca, briga, abraço, beijo, mc donalds, coca-cola, quero o inteiro com você e esquece. Esquece o resto, que pra você, eu sou sempre a mesma. Eu tenho medo do escuro, mas com você eu fecho os olhos. Deixa eu ser aquela menina boba, com cara de porcelana, que te olha de um jeito tenso. É que teus olhos pousados nos meus, causam estranheza dentro dessa bagunça interna. Tem tanta bagagem que carrego aqui. Mas quando estamos juntos, é como se fosse tudo novo, leve e intocado. Deixa eu ficar colada em teu corpo garoto. Essa semi felicidade nunca me agradou. Eu quero sentir as verdadeiras ciladas que o destino nos preparou. Coloca uma música, viaja comigo, quando estamos aqui tão de perto, parece real. As rosas ainda não falam, mas ainda são tão lindas e fazem lembrar que o amor ainda esta aqui dentro de mim. Olho para sua foto e me sinto ali, naquele abraço. Te concedo uma dança, em qualquer lugar, até sem música e te admiro mais uma vez e repito em silêncio, será que o amor é você? E não tem ninguém que dê jeito nisso. Não existem palavras certas para essa desordem romântica grudada em meu peito. É você e pronto. Agora mais uma vez me abraça, dança comigo em volta do mundo, deixa o mundo ter inveja da nossa felicidade, existem sonhos grudados no teto, as estrelas cadentes piscam e caem em nossa direção, pra realizar os nossos sonhos. Ainda não encontro palavras pra dizer, gritar, exclamar, mas sei que pode ser amor, eu sei, você sabe e isso está além do que se vê. Está nesse sentir desajustado gritando, pedindo mais, pedindo pra você ficar. E fique pra sempre, morando no conforto do meu peito, junto do meio termo da palavra amor.

Colo.

Não se concentre tanto nas minhas variações de humor, apenas insista em mim. Se eu calar, me encha de palavras, me faça querer dizer outra e outra vez sobre você, sobre nós, e todo esse amor. Se eu chorar, não me faça muitas perguntas, não precisa nem secar minhas lágrimas. Só me diz que você continuará comigo pra tudo, que tenho teu colo e teu carinho. E ainda que te doa me ver assim, me envolva nos teus braços e diga que eu posso chorar, mas que você não sairá dali enquanto eu não sorrir. Porque é isso que nos importa, não é? O sorriso um do outro. Não é?

Fatos do dia-a-dia (8)



Mana calma! Deus está preparando um HOMEM de verdade para você, um que te receba com flores e te mime na hora certa, mas também sabe ser safado APENAS contigo porque, cá ente nós, o excesso enjoa. Então levanta dessa cama e te prepara pra vida, o cara dos teus sonhos não está nas tuas fantasias e ele não vai te encontrar se você ficar jogada nessa cama chorando por quem não valorizou um único sorriso teu. Você merece amar e, muito além disso: merece que esse sentimento seja recíproco.

Quadriciclo vermelho.

Eu acordei mais uma vez num domingo e vi um quadriciclo vermelho na minha garagem e percebi como é engraçado quem ama,  imaginei quantos planos fizemos pro verão,  de como nos divirtiriamos no verão com um quadriciclo,  talvez igual àquele,  dos planos que fizemos,  das fotos que não tiramos,  dos verões que não tiveram a oportunidade de chegar! Estão todos errados,  amores não etapas ou melhor não tem colocações : esse é pra você aprender pro próximo,  esse é pra te deixar mais maduro!  ESTÃO ESPELHANDO BOATOS ERRADOS SOBRE O AMOR;  o amor é pra  ensinar sim,  pra amadurecer sim,  pra te enlouquecer sim,  E pra te mostrar que o amor te faz voltar pra o lugar de onde nunca devia ter saído!  O amor te ensina o que é perdão,  Te faz acreditar no que ninguém mais acredita,  pois o amor tem "visão de raio laser" vê dentro da pessoa. E só quem já amou muito alguém vai entender isso,  afinal foi o poeta quem falou "quem ama o feio,  bonito lhe parece".  E mesmo com bilhão de pensamentos na minha cabeça sobre essas bobagens românticas deixei o quadriciclo vermelho lá e voltei pro meu quarto dormir,  Domingos,  não são pra isso?  Quando eu acordei o quadriciclo vermelho não estava mais lá.  E conclui,  nunca precisamos de quadriciclos pra nós divertir,  E voltei pra dormir de novo, afinal,  Domingos não são pra isso? E olha que droga,  fugindo de pensar você,  sonhei com nós dois...  no quadriciclo vermelho. 

O "felizes para sempre".

Todo mundo já quis fugir,  viver aquela cena de clipes românticos,  Todo mundo já quis ser o Centro das atenções,  Todo mundo.
Todo mundo já quis um olhar daquela pessoa,  Todo mundo já chorou por alguém,  mesmo que por dentro. Todo mundo já acreditou um dia...  mas o que aconteceu de errado? Onde foi que os sonhos ficaram?  Onde foi que "bugou"?
Hoje há mais mentiras que sonhos...  aeroportos já viram mais beijos sinceros que igrejas. Eu sempre me perguntei por que era tão difícil encontrar o final feliz...  mas não é difícil não,  tanta gente já encontrou! O difícil é ficar com o seu final feliz!  As vezes o príncipe está com a princesa errada,  as vezes a fada madrinha adiantou o relógio,  as vezes a princesa se apaixonou pelo sapo que não tem vocação nenhuma pra virar príncipe nem com 725 mil beijos.
Mas quem disse que era fácil? Sempre vi minhas princesas sofrerem horrores antes de "se darem bem"...  a Cinderela teve que fazer muita faxina antes arrasar naquela roupa, a branca de neve foi envenenada,  a Jasmim teve que pegar o Jafar pra ficar com o Aladdin,  a Ariel teve que largar o Reino dela e o pai e ainda ser muda pra conquistar o Erique.  Então eu fico pensando...  se eu fizer muita faxina,  for envenenada,  agradar o vilão e ser muda... (rs) será  Que assim eu consigo o meu felizes para sempre?  Que bom seria,  se assim fosse,  se houvesse receita!  Mas cada história é diferente,  cada sentimento é único...  E eu cresci...  não devo mais acreditar que o príncipe vai aparecer...  Eu não acredito mais em contos de fadas... Mas só pra garantir,  não vou jogar minha coroa fora.

O cara certo!

Enquanto você cresce,  todos te dizem pra esperar,  esperar ficar pronto,  esperar sua hora,  esperar a resposta, esperar terminar o Colégio,  depois a faculdade, esperar o amor.
Dizem pra você ser uma boa menina que o cara certo vai te escolher,  Não falar muito,  Não falar alto,  Não rir demais,  comer pouco,  estar sempre bem vestida,  de unhas feitas,  Não chamar atenção demais e só tirar o salto em casa.  Mas eu,  aaah eu. Eu nunca fui muito de esperar,  as vezes meu miojo  (que só demora 3minutos pra ficar pronto) eu como meio cru. Rs.  E essa história de que o cara certo vai te escolher...  Eu não quero ser a escolha de alguém,  preciso ser a única opção. E o meu cara "certo" vai dizer que eu falo alto e dizer quando eu tenho que falar mais baixo,  vai rir da minha risada sem jeito e dizer que não existe outra igual,  vai me encher de chocolate porque sabe que sou chocolatra e depois se lambuzar nos meus beijos. Vai chegar de surpresa e me ver com cara de sono descabelada e com roupas simples e dizer "nunca te vi mais linda ".  O meu cara certo vai chamar atenção junto comigo e amar isso,  vai ter orgulho de mim e no final da noite vai levar minhas sandálias na mão...  o meu cara certo,  Não vai nunca desistir de mim..  o meu cara certo,  na hora certa,  vai dizer pra mim...  "Eu cheguei, valeu a pena esperar. Confia em mim. "

Dor!!

"Então compreendi perfeitamente o que causava a dor. Não era o corte com a ponta da faca, a topada na quina da cama, o amigo que não liga mais, o café que sujou o fogão, as palavras duras, as notícias na tv. Obviamente isso soma-se ao fardo, mas não é ele em sí. A dor era gerada pela sede insaciável do nada. Pois quando não se tinha o que queria sofria e quando conseguia almejava outra coisa para sofrer. E é por essa sede que os hunanos consomem seus dias, pelos futuros que nunca virão, ou que serão  fadados quando chegarem e a maior idiotice era perceber: eu também era um desses tais que nunca estavam de barriga cheia."

O amor quando acaba.

Então é isso, amor? Agora resta ficar com suas fotos, cartas, caixas de presente. Coloridas, rasgadas, vazias. Minha nova coleção. Resta ficar com as palavras que prometiam mais do que puderam cumprir, com o olhar alheio que não entende a sua permanência fantasma e diz que a vida é como um rio e que você foi mais um dos ancoradouros onde o barco da vida parou. Mas o apito chama novamente os passageiros. Então é isso, amor? Como confiar de novo em você, que se esconde agora em milhares de rostos, como um enigma a descobrir em uma multidão matemática? Itinerários desconhecidos que não interessam na estação. E se virá um novo porto onde ancorar, virá também uma nova despedida, de lenços no convés e pessoas no cais a ver a partida? É isso? Sempre? Levantar de malas ininterrupto? Não se pode dormir até tarde: o correio sempre chega cedo. Então é isso, amor? Projetar-se em visões artísticas. Coletâneas de música, cenas de filmes, capítulos de livros. Apropriação de catarses alheias. Arquivo de lembranças, arqueologia de papéis de carta. Conformar-se com o fato de que não se é o único a perder e resignar-se como todos antes e depois se resignaram, pois você não mata ninguém de fato? São só mentiras literárias? Werther, Romeu, Aschenbach. Fragmentos de um discurso amoroso. Mas onde ficam os aleijados do amor? Onde enterraram um pedaço de si nessas pequenas mortes acumulativas? Então é isso, amor? Acreditar nos clichês, pois é o que resta? Cansar a todos com discursos sobre você e seus mil corações rosas? Filhos, ações judiciais, pensões alimentícias. Esse, o saldo? Uma gaita tocando sozinha no fim do filme, enquanto os créditos sobem com os nomes dos que construíram mais essa história? Uma aparição casual, um telefonema pedindo um favor, encontros sociais compulsórios? Esmolas, pedras, gelo. Então é isso, amor? A luta contra o tempo invejoso? "A persistência da memória" não parece um bom título de quadro. Os relógios se dissolvem no tempo e o que sobra? O corpo de um ciclista caído na rua apaga-se antes da próxima chuva. O trem sai todo dia da estação, e, a cada viagem, é como se você eterno e indefinidamente partisse. Acenos, fumaça, lágrimas. O que persiste? Um cachorro que corre na chuva, um saco plástico que voa no vento, postais enviados sobre a estante. Mas até quando a memória persiste? A última perda na curva da estrada, o último cais antes do oceano. E então finalmente aprender que é isso o amor, quando acaba...

Tudo acaba.

Porque tudo acaba. Uma hora acaba, se o que há de mais precioso: A vida. Acaba, quem dirás as outras coisas. Ciclos terminaram, você acorda e o sonho acaba, amizades acabam,o sorvete acaba, seu lápis de olho, sua dor de cabeça, absolutamente TUDO acaba. E por que eu inocente, mais uma vez tentei congelar, salvar, imortalizar algo que ia acabar, que já começou com risco de acabar? E então me encontro mais uma vez oca. Esperando mais um veredito de "caso encerrado". E aceitar, só. Só ha a aceitação pela frente, o corpo treme, a garganta trava, a respiração arde pra sair ou entrar nos pulmões. Nem o som do vento pra me fazer companhia, nada. Como saber que acabou? Terminar algo não é quando há brigas intermináveis,lágrimas, histórias. O fim demonstra que chegou quando não há mais nem vontade de discutir, resolver. Apenas: "deixar pra lá". "Deixa passar". E de tanto deixar pra lá, eu to aceitando, eu to aceitando que acabou. Eu to aceitando que houve amor, que foi bonito, que marcou, até na pele ficou. Mas que pra toda vida, vai ficar só a lembrança do que um dia jurei ou juramos - já nem me lembro mais - nunca acabar, e, mais longe ainda, ser inocentemente "pra sempre". Mas um sábio disse uma vez "O pra sempre, sempre acaba." E se até o pra sempre acaba, o que é que pode durar?
"Porque amor é tudo que eu tenho pra dar. Porque só sentimentos bons ficam guardados no meu peito. Se você foi um imbecil, tudo bem, foi, tá feito. Mas sou tão amor, que sou incapaz de odiar."

Espelho!

Não sou boa com números. Com frases-feitas. E com morais de história. Gosto do que me tira o fôlego. Venero o improvável. Almejo o quase impossível. Meu coração é livre, mesmo amando tanto. Tenho um ritmo que me complica. Uma vontade que não passa. Uma palavra que nunca dorme. Quer um bom desafio? Experimente gostar de mim. Não sou fácil. Não coleciono inimigos. Quase nunca estou pra ninguém. Mudo de humor conforme a lua. Me irrito fácil. Me desinteresso à toa. Tenho o desassossego dentro da bolsa. E um par de asas que nunca deixo. Às vezes, quando é tarde da noite, eu viajo. E - sem saber - busco respostas que não encontro aqui. Ontem, eu perdi um sonho. E acordei chorando, logo eu que adoro sorrir... Mas não tem nada, não. Bonito mesmo é essa coisa da vida: um dia, quando menos se espera, a gente se supera. E chega mais perto de ser quem - na verdade - a gente é.

Palavras machucam!

Sobre palavras que não queriam realmente ser ditas. Nós nos dizemos tão racionais, mas as vezes não conseguimos conter palavras e ações agressivas e desnecessárias, como um cão machucado que ao sentir dor morde quem se aproxima. Onde está diferença? Não sei, sinceramente. Penso em como as palavras machucam, até mais que uma mordida de um cão, por que a ferida fisica cicatriza e a ferida causada por palavras, fica aberta e parece que é tocada cada vez que deitamos no travesseiro e lembramos segundos antes de dormir. Queria ter o poder de retirar algumas palavras já ditas à pessoas que eu amo, e, gostaria mais ainda de poder tirar de mim palavras que foram ditas à mim. Queria poder antes de dizer algo parar o tempo, olhar a situação e voltar a mim e dizer "ei, espera ai... eu te amo" e evitar tanta dor em todas as partes envolvidas... Se eu pudesse ter um poder nessa vida, queria que fosse esse. Queria não machucar por que sei como doi. Gostaria que nossas ações realmente fossem racionais como nós dizemos que somos. E por ventura, quem sabe... Algum dia um "me desculpe, estava errada" melhore as coisas e tragam a doçura do seu sorriso de volta aos olhos meus.

Fatos do dia-a-dia (7)

"Algumas pessoas dizem que a vida é curta e que você pode ser atropelado por um ônibus à qualquer instante, e que você tem que viver o seu dia como se fosse o último, que nada... A vida é longa e provavelmente você não vai ser atropelado por um ônibus.E vai ter que viver com as escolhas que fizer pelos próximos 50 anos. A vida é escolha, somos todos a soma das nossas escolhas e a maioria delas é feita por nós.Você não pode escolher quando nascer,não pode escolher onde nascer, não pode escolher sua família, não pode nem escolher quem amar, mas você como escolher como amar."

Saber sofrer.

Saber sofrer é um dom que a gente adquire quando alcança um determinado nível de amadurecimento. Saber sofrer é lindo! Eu admiro muito quem admite que não, não tá nada bem, mas vai passar, deixa estar. Sem nenhum tipo de apelação na timeline. Bato palmas pra quem não pinta sua dor de cor-de-rosa e grita, repetidamente, pro mundo todo que tá feliz como nunca esteve em toda a vida. Mentira! Todo mundo vê e sente pena da lágrima pesada que você não deixa cair, enquanto conta vantagens de baladas vazias. São ridículas as fotos divertidas, com legendas provocantes, porque todo mundo tem certeza que a alegria passou longe dali. Todas as mulheres das suas redes sociais especulam sobre seu momento deprê no banheiro da boate e elas acertam, não é? É um papel patético. E eu tenho plena consciência que todos nós nos prestamos a isso, alguma vez na vida. Mas tem gente que não cresce. Tem gente que não aprende a se respeitar. Respeitar seu próprio tempo, seu próprio sentimento, vontades, seu processo de luto. Gente que vive amargurada, porque não sabe deixar passar. Deixar o nó desatar. Moça, a gente sabe que você é maravilhosa, que tudo vai ficar bem e você vai viver coisas muito melhores. Mas a gente também sabe que chorar é a única coisa que te dá algum tipo de alívio, por enquanto. Seja numa festa maravilhosa ou debaixo do cobertor. Então se preocupa menos em provar alguma coisa pro mundo e se concentra em esgotar a dor. Vê se não se ridiculariza, nem banaliza o fim do amor.

Muito e pouco de mim.

Gosto de ser menina, a fantasia é minha revolta. Me visto de mulher pra enfrentar a rotina, o disse-me-disse, os toques e os timbres. Gosto de gente que sabe decifrar, que inala o personagem, que reluta, que quer saber mais... Não entendo de gente azeda. Gosto de açúcar. Gosto de me esbaldar no sonho e não tenho hora pra acordar. Ando vestida de realidade, mas pego carona no clichê “Imaginação”. Sou solta, leve, camaleoa. Visto-me de céu. Faço-me de lua. E se quiser me pintar de “vida”, claro, possuo uma, a minha. Então por favor, não faça morada nas minhas adversidades, nem nos meus defeitos, pareço clara, mas sou feita de noite. Costumo vestir o tempo, não tenho contrato com o atraso, quer correr? Corra. Eu tô lucrando. Nasci com a sorte de ser apenas partida.

Escute o seu coração.

Acho lindos esses amores escancarados, que são cuspidos na cara de quem quiser ver. Acho lindas todas as manifestações públicas de afeto, mas acho ainda mais lindo o sentir. Do que adianta sorriso no rosto, sentimento exposto e coração frouxo? O amor é um sentimento que não se explica, se aplica apenas, todos os dias. Você o faz crescer, independente de anunciá-lo aos quatro cantos e aos sete ventos. Amor é quase um sussurro, um burburinho bom, causado pelo pensamento e pelo coração, na mais repleta conexão. Então, prefira amar, ao invés de proclamar. Ninguém ama com tanto barulho. O amor pede silêncio absoluto. É neste ambiente calmo e acolhedor que ele cresce, repentinamente, engolindo qualquer som que seja mais forte que o danado tum-tum-tum, que só um bom coração sabe repetir com clamor. Portanto, faça silêncio e escute o seu coração.

Fatos do dia-a-dia (6)

"Odeio quem diz que vai e depois retira a palavra. Quem sempre inventa um senão de última hora. Quem não banca seu desejo. Quem finge intensidade para soar romântico. Adiar não é esperança. Um sim pela metade é não. Respeito aquele que sofre de medo, jamais respeito aquele que aceita ser menor do que o medo. Respeito aquele que sofre de dúvida, jamais respeito aquele que coleciona incertezas. Na paixão, ou é ou não é. Não se negocia com a loucura."

Com respeito.

Homem que fala mal da ex: não confio. Eu posso e vou fazer esse papel como ninguém, não preciso de ajuda. Vou debochar das roupas, criticar o cabelo, o jeito de falar, vou frisar a falta de noção e vou compartilhar meu sentimento de desprezo por um post da bonita de fevereiro de 2005. Porque sim, eu vou revirar essa timeline até a data do nascimento. Talvez eu não divida todos esses prazerosos momentos com o boy, mas certamente choverão prints no WhatsApp das minhas amigas. Mas eu sou mulher e sou a atual, logo, essa é a minha função. É a natureza que corre pelas minhas veias e grita pelos meus poros: veneno. De mulher pra mulher. A gente sabe que é assim que funciona. Cara feia de sobra e, mesmo se não existir defeito, a gente arruma mais de mil. Tudo isso perfeitamente maquiado com um insuportável ar de superioridade e jogação de cabelo, quando a gente esbarra com a figura em alguma esquina da vida. Mas eu, veja bem, não tenho e nunca tive nenhum laço afetivo com a sujeita. Ela nunca sonhou filhos comigo, nem nunca fizemos planos juntas. Nunca nos juramos amor, nem eterno nem a curto prazo. Eu nunca tive o corpo, a alma, o sorriso dela numa noite qualquer. Nunca curtimos o silêncio, olhando pro teto e agradecendo pela paz no peito. Então eu posso. Mas não admito que o bonito fale da infeliz com desdém. Carinha de nojo, cuspindo no prato que comeu. Não admito porque, um dia, ambos se fizeram felizes. Não quero ouvir palavras pesadas, detalhes sujos dela. Não quero saber no que ela era ruim e o quão ruim era. Não quero que faça tão pouco do que um dia foi tudo pra outro alguém. Quando o assunto é hombridade, respeito é o mínimo. Amanhã, quem sabe, a ex sou eu. E não quero meus detalhes expostos por um menino.

"Escrever para não explodir, ou, sumir."

Eu sei que eu sempre quis "crescer" e meus pais diziam que eu iria querer ser criança quando enfim crescesse. E, mais uma vez, eles tinham razão. Como na maior parte da minha vida.Hoje me vejo impotente com medo e meio sem "vontade". Vontade de continuar consertando as coisas, vontade de continuar segurando as pontas e fazendo pontes, continuar tentando fazer todos à minha volta feliz, e são falidas essas tentativas, sempre falta algo, alguém, na maior parte das vezes são as minhas vontades e felicidades plenas e genuínas que são deixadas pro segundo tempo, até na reserva e vou vivendo da felicidade alheia, sonhando os sonhos dos outros... Queria poder gritar, literalmente: GRITAR. Para poder ver, tentar, tirar esse nó, essa angustia no meu peito, que sobe pela garganta e ultimamente, tem chegado direto aos olhos. Ninguém se preocupa realmente, ninguém olha pra mim, logo eu que olho pra todo mundo, ninguém acha que comigo é serio, estou perdida, vivendo dias vazios, cheios de rotinas e obrigações, e, cheguei a conclusão que espaços vazios ocupam muito espaço. Meu HD encheu e não tem ninguém pra me formatar, que bom seria, se, só se, quando quando escrevêssemos junto com as palavras a tristeza e a angustia se fossem, ou ficassem presas em um outro lugar, que bom seria.

Fatos do dia-a-dia (5)

“Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio. Porque metade de mim é partida, mas a outra metade é saudade. Porque metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo. Porque metade de mim é o que eu penso, mas a outra metade é um vulcão. Que o medo da solidão se afaste, e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável. Porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade eu não sei. Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço. Porque metade de mim é amor e a outra metade também.”

"...Perdoado à quem nos tem ofendido..."

Guardar rancores adoece, amarga e apodrece. Guardar rancores separa grandes amores, destroi grandes amizades. Guardar rancores deixa seu entusiasmo no chão. Estando você certo ou não, a única solução é o perdão, que lava a alma e devolve sua motivação e a alegria de estar bem pertinho novamente de seu companheiro, amigo ou irmão. Guarda rancores quem já caiu na armadilha do orgulho, quem – por descuido – deixou coisas preciosas guardadas no meio do entulho, jogadas ao vento, sem pensar ao menos por um momento que mais tarde cairia no arrependimento, restando apenas para si o lamento. Mas quem deixa o rancor de lado já está pensando fora do quadrado, numa sociedade de corações gelados, onde errado virou o certo e o certo virou errado. Por isso, não se deixe levar pelo pensamento alheio, seja forte, independentemente do meio, assumindo sua própria identidade de peito aberto e sem receio, em busca de reconstruir o que já parecia morto e perdido, trazendo para perto até quem lhe fez se sentir iludido, mesmo que tenha sido de propósito ou por um simples mal entendido. Deixe o rancor de lado. Deixe o orgulho de lado. Saia dessa teia. Volte a respirar fundo e a sentir a doçura de uma vida livre de culpas ou acusações. Simplesmente perdoe. E faça isso o mais rápido possível.

Fatos do dia-a-dia (4)

"Nada, mas absolutamente nada vai me tirar esse sorriso de ponta a ponta do meu rosto. Nem uma falta de presença, nem uma mentira mal contada, nem uma saudade extensa, nem uma ligação esperada não feita, nem uma promessa não cumprida, nem uma falta de adeus na minha partida. Nem mesmo os meus erros vão me fazer entristecer. Já superei essa de esperar por algo que nunca acontece, de criar falsas expectativas, de sustentar ilusões e decepções. Combinei comigo mesma de não esperar por mais nada, somente pelo dia de amanhã."

Fatos do dia-a-dia (3)

"A gente demora pra aceitar, arruma novecentas desculpas para a falta de jeito do outro. Ah, ele é confuso. Ah, ele está tenso. Ah, ele tem medo. Ah, ele é maluco. Ah, ele isso. Ah, ele aquilo. Desculpa, mas quem quer estar junto pensa: Ah, que saudade. Ah, que falta ela me faz. Quem gosta, gosta. SEM COMPLICAÇÕES. SEM ARMAÇÕES E ARMADURAS."

Fatos do dia-a-dia (2)

"Já que não tenho coragem de assumir minha loucura, queria que ao menos algum canto do mundo me acolhesse. E me abraçasse e dissesse que tudo bem, tudo bem de vez em quando eu perder assim a razão ou o equilíbrio. Eu queria que existisse um canto do mundo que nunca me dissesse ‘’ei, você se expõe demais’’ e que me deixasse ser assim e apenas me deixasse ficar quietinha e quente quando o mundo resolvesse me magoar porque eu sou briguenta, mas sou mais sensível que maria-mole na frigideira."

Não precisa de "felizes para sempre".

Eu discordo dessa história de que só é amor se for pra sempre. Digo, o sentimento pode até viver pra sempre, ali quietinho em algum canto do peito. Mas histórias começam e terminam e não é justo dizer que não houve amor. Não é justo achar q ue elas não deram certo ou que era a pessoa errada. O amor da sua vida, nem sempre é o cara que você casa e forma uma família. Pessoas se perdem, pessoas se encontram, é natural. Eu acredito em amor com alguns poucos meses de relacionamento. Amores mais bonitos do que alguns de anos, amores de outras vidas, escorrendo pelos poros. Sem esse papo de que tudo recente é paixão e amor é rotina. Paixão é carne, amor é alma, independente do tempo. Odeio quem teima em rotular o que o outro tá sentindo, mal sabe o que é quem tem no peito. Tudo que nos faz feliz, dá certo, mesmo que por uma semana, um mês. Tudo faz crescer, deixa o jardim mais bonito no fim das contas. E quem é essa tal de pessoa certa, afinal? Ninguém é errado, somos todos vítimas de desencontros. Seu certo não me agrada e vice-versa. Mania feia de jogar tantos dias incríveis no lixo, depois que a mágoa chega. Te fez chorar, mas te fez sorrir tanto, foi bom enquanto durou, foi certo e só, foi. Só passou e isso não quer dizer nada. Mania chata de relacionar amor com contos de fadas e o maldito feliz pra sempre. Amor se relaciona com feliz, sem complemento, sem prazo. Nem sempre, sem fim.

Fatos do dia-a-dia. (1)

Era por volta da meia noite, achei um chip antigo meio riscado no fundo da minha gaveta, resolvi testar pra ver se ainda prestava pra alguma coisa, e pra minha surpresa ele funcionava muito bem. Comecei a vasculhar a memória e achei uma sms que tinha ficado salva, e li algo muito curioso, era de 2010, e lá dizia: “Saiba que independente de qualquer coisa, eu estarei ai do seu lado te protegendo.” Anos se passaram desde então, e a pessoa que me mandou essa mensagem simplesmente sumiu da minha vida. E não era que o maldito chip prestava mesmo? Prestava pra me fazer lembrar que promessas escritas viram memórias abandonadas num piscar de olhos.

Mude sua atitude!

Só fala comigo, se tiver algo preste pra falar, pode ser? Queria andar com isso escrito num crachá, por aí. Tô assim, tô chata, eu sei. Desenvolvi uma preguiça de gente, que me consome e eu me rendi. Quando uma amiga me mostra o novo carinha gato do lugar, eu olho e só consigo pensar “tão novo, tão raso, tão bobão. Prefiro dormir.” Ele é um tipo de semi Deus, mas eu não consigo levar isso em consideração, juro que tento. E quase ninguém entende. Tudo bem, há um tempo atrás nem eu entenderia. Mas é que eu já conheci tantos tipos, tantas pessoas imbecis, já perdi tanto tempo, que eu resolvi me poupar. Já aprendi tudo que tinha pra aprender com gente que nunca teve nada pra ensinar. Resolvi me aposentar. Porque esse tipo de experiência unilateral já não me convém. Tô em outro momento, tô muito além e gostaria de contar com a colaboração de todos. Então fica meu apelo: homens, vocês não precisam ser príncipes, perfeitos, modelo de homem da vida não. Podem não valer nada. Podem ter o passado negro e o presente da mesma cor. Podem querer só sexo e fazer de tudo pra conseguir. Mas, por favor, tenham algo a acrescentar! De verdade. Façam por merecer. Façam valer a pena essa noite, mesmo que não passe disso. É pedir muito? Não se acomodem em ser bonitos. Não se esforcem pra ser só isso. Falem bonito. Façam bonito! É tão mais importante. Eu fico até com pena quando testemunho algum homem prometendo filhos, amor eterno e futuro feliz, só pra dormir com alguma mulher. Se esse é o seu único artifício, sério, você nem merece o que tem entre as pernas. Eu acho que o meu pedido é simples. Que o meu cansaço é justo. Cafajeste, romântico, nerd, tanto faz. Gato ou não. Por uma noite, uma semana, um mês, uma vida... não interessa. Seja interessante, que aí a gente conversa. Já completei coleção de meninos. Agora só trabalho com homem, e por experiencia própria colega, opte pelo mesmo que eu.

Sem título.

Você de repente acorda. Simples assim. Descabelada, descalça, olha no espelho caminhando pro banheiro e não se da conta de quanto o tempo passa rápido. Não metaforicamente, REALMENTE PASSA. O que você fez ontem? Fez algo que fez valer a pena as suas 24 horas? Eu venho pensado sobre a vida, e tenho medo de enlouquecer por pensar que poderia voltar no tempo, que poderia "re-juvenecer", mesmo sendo tão "nova". Pensar que algo tem um sentido, uma razão. Será que tem? Será que tudo que fazemos vale realmente a pena? Cada lágrima, cada momento em que seu coração aperta, cada segundo em que você sente vontade de sumir. Tenho medo de sonhar com uma vida que não é minha. Medo. Um sentimento tão humano. e hoje me sinto mais humana do que nunca, mais parecida com meus pais do que nunca e também mais sozinha do que nunca. E talvez ser humano seja isso. Descobrir que: Há solidão, que o tempo é incurável, covarde e te engana a cada segundo. Então eu venho tentando enganar a solidão, e enganar o tempo! SIM. Que audácia a minha, enganar o tempo, mas eu faço do meu jeito. Eu finjo que não conto os dias, e tento urgentemente a idiotice da "felicidade" Eu acordo, descabelada, descalça e olho no espelho e digo "VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHA". Eu digo, eu penso, eu vivo isso, e vou vivendo a loucura da minha mente, vou realizando sonhos, tentando correr, pra poder dizer, um dia. Eu vivi, eu estive aqui, eu tive medo, eu amei, mas eu estive aqui!

"De ser."

Quando eu quero, eu vou e faço, depois eu penso, quase nunca me arrependo, então respeita o meu direito de ser impulsiva. Se você não se importa com pouca coisa, respeita o meu direito de ser mulherzinha. Quando você começar com as suas infantilidades, que tanto me irritam, respeita o meu direito de ser imatura também. Se você é moderninho ou frio, respeita o meu direito de ser romântica. Quando eu, mesmo morta de saudade, não te procuro, não te ligo, não me rendo, respeita o meu direito de ser orgulhosa. Se eu fizer cena de novela mexicana, vê se respeita o meu direito de ser dramática. Quando eu morro de ciúmes de uma garota sem graça, só respeita o meu direito de ser insegura. Se você me fez sangrar algum dia, respeita o meu direito de ser vingativa. Quando eu desmonto e preciso de um colo, respeita o meu direito de ser frágil. Se eu te ligar, tarde da noite, disparando as mágoas que me sufocam há dias, respeita o meu direito de ser desequilibrada. Quando eu defendo uma ideia ou pensamento louco até o fim e ignoro outros pontos de vista, respeita o meu direito de ser teimosa. Se eu já fui sua e você não fez questão de me segurar firme, respeita o meu direito de ser desapegada. Quando eu quiser tudo pra ontem, respeita o meu direito de ser impaciente. Se você prefere falsidade e falsos sorrisos, tudo bem, mas respeita o meu direto de ser sincera. Todas as vezes que eu vou embora, que eu não sei ficar, respeita o meu direito de ser impermanente. Você pode ser fã da liberdade, só respeita o meu direito de ser amor. Muita gente “está”, pouca gente “é”. Então respeita o meu direito de ser!

Juntos. Porque querem.

Relacionamentos acontecem. Você não precisa força-los. Tampouco apressá-los. Pessoas ficam juntas porque querem, no momento em que decidem juntas. Querer já é muito e ajuda a eliminar algumas dúvidas. As dúvidas existem porque pensamos nelas. E tudo está sujeito ao engano. É incontrolável. Como evitar cair em relações de dependência? Seja responsável por você: pensamentos, sentimentos e atos. Parece banal, mas não é. Não tente impor ao outro sua responsabilidade com relação a você mesmo. Ele gosta de você, mas não é tão responsável por você assim. Você responde por você, ele responde por ele. Amor não se cobra. Atenção também não. Carinho muito menos. Tenha isso em mente. Não tenha a obrigação de corresponder às expectativas do outro em todos os momentos. Ele as criou. Não o obrigue a corresponder às suas expectativas em todos os momentos. Você as criou. A moeda da culpa é muito alta. Não se culpem à toa. Não usem chantagens baratas, usem as mais elaboradas, em momentos oportunos. Não somos animais de estimação: não tentem se domesticar. Não somos animais selvagens: não tentem se enjaular. Não estejam nem queiram estar presentes na vida um do outro o tempo todo. Ninguém nasce com duas sombras. E quando estiverem longe, não se liguem toda hora. Todo mundo pode esperar. Na vida é bom saber detectar o que é urgência de fato. O resto é controle. Não ligue antes de dormir para saber onde ele está com a desculpa “só liguei pra dar boa noite”. Você não é mãe dele e vocês não têm 12 anos. Só liguem quando quiser, ou precisar, e não porque ele quer que ligue. Não deixem que os monstros da comunicação instantânea assombrem. Um SMS não respondido imediatamente, uma ligação sem retorno, ficar um dia sem se falar: não foi nada! Vocês não precisam checar o celular um do outro, fuçar as redes sociais, ter acesso aos e-mails pessoais. Quem inventou essa loucura? Não se controlem a ponto de ficarem com preguiça de se ver. Não aceite ser a polícia, o juiz ou o algoz de quem você gosta. Sejam, menos ainda, vítimas um do outro. Não façam planos vitalícios com ninguém. E não se culpem por isso. Conversem sobre tudo, mas não discutam todos os lados da relação sempre. Incentivem-se, mas não virem o senso de direção um do outro. Não faça surpresas demais, não agrade demais. Ele não é seu filho único. Repito, que se vocês estão juntos é porque querem estar. Isso já é tão belo. Tenha assuntos e amigos pessoais, ele não deve ser seu único assunto e interlocutor. É sempre bom ter o que fazer na vida. Trabalho e lazer. É recomendável ter muitas coisas para pensar, como ideias e viagens. Hoje você vai sair sem ele e tudo bem. Amanhã ele vai viajar sem você e tudo bem. Hoje você vai encher a cara com seus amigos. É sempre bom. Depois de amanhã vocês podem ir ao cinema juntos! Então saibam se divertir juntos. E saibam se divertir um sem o outro. Não se violentem. A tortura é uma técnica menor. Pode dormir na casa dela, mas lembrem-se: você não mora lá. Pegação não é flerte. Flerte não é paixão. Paixão não significa romance. Romance não é namoro. Namoro não é casamento. Casamento não é virar uma pessoa só. Duas bocas, oito membros, duas cabeças, dois corações, dois organismos que só se comunicam com o mundo usando verbos na primeira pessoa do plural. Isso é mutação. Briguem por motivos reais. Tenham ciúme por motivos reais. 90% dos casos os motivos não são reais. Você tem passado. Ele tem passado. Ciúme do passado é motivo irreal. Você tem seus segredos. Ele tem os segredos dele. Respeitem-se. Aprendam a ensinar que respeito não envolve hostilidade. Tudo isso não quer dizer que ele tem outra pessoa, que você se apaixonou por outra pessoa ou que vocês se gostam pouco. Tudo isso vai fazer vocês gostarem mais um do outro. Antes de você existir na vida dele, ele já existia. Existir não é tarefa fácil. Tem que deixar a existência arejada, sempre, pra poder existir ao lado de alguém. Mais disposto e com mais vontade. Que bom que você chegou na vida dele. Mas ele não nasceu de novo. Tudo vai se adaptar ao novo cenário. Tenham paciência. É exercício. Tentem cortar as ilusões de domínio: não funcionam com territórios, não funciona com conhecimento, nunca vai funcionar com pessoas. Isso adia os finais trágicos das relações possessivas. E torna as relações mais inspiradoras. Essas duram mais. No pós-romance as pessoas não precisam explicar tanto. Elas estão juntas porque querem. Isso basta. Fim.

É certo, até deixar de ser...

Todo mundo te faz acreditar que o cara certo vai chegar um dia. E que para ser o cara certo ele tem que te mandar flores de repente sem motivos, ser o primeiro a ligar no seu aniversário, saber tudo que você gosta de cor e salteado, deixar de prestar atenção naquele filme que mais gosta só para ficar te olhando, ligar só para te dar boa noite porque sentiu saudades, te chamar por um apelido carinhoso, te apresentar para todos como o amor da vida dele. Mas ninguém lembra de falar, ou não falam por que não querem, que esse cara pode simplesmente não chegar! Não, eu não estou destruindo sonhos, não sou seca e nem mal amada. Eu simplesmente to dizendo o que ninguém quer dizer. Esse cara de filmes, novelas e sonhos ou até mesmo de desejos mais profundos, pode não existir ou existir e ser a exceção da regra. Um cara não precisa te ligar 20 vezes no dia para ser o cara certo, muito menos dizer que você é a mulher da vida dele a cada 20 minutos. O cara certo pode nem ter todos essas " qualidades" e ainda assim, ser o tal "cara certo". Esse "cara certo" pode nem te dar boa noite mas ainda assim lembrar de você, pode não mandar flores mas lembrar do cheiro do seu perfume, pode não deixar de ver o filme preferido mas, te chamará para assistir com ele. A pessoa certa não vai fazer tudo que nós queremos, não será como sonhamos e muito menos deixará de fazer o que gosta simplesmente porque queremos que assim ela aja. A pessoa "certa", o "cara certo" , o homem (mulher) dos seus sonhos não vai te tocar o cabelos, o rosto ou o corpo. O " CERTO" vai te tocar a alma. Vai chegar sem que se perceba, ou até mesmo fazendo barulho, vai ser importante com o tempo, ou na mesma hora, vai aparecer e ficar, ou simplesmente passar e ser uma lembrança. O "certo" é o que faz bem, o que faz feliz, o que faz sorrir, o que deixa em êxtase, o que tira o folego, o que se esquece algumas vezes durante o dia, o que tem fim e deixa haver um novo começo. Já dizia Arnaldo Jabour: Deu "certo" durante cinco anos, só que acabou. E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.

De cara limpa.

Nunca tem roupa o suficiente, sapatos que combinem, maquiagem pra ocasião. Sempre falta o batom ideal, um pincel mais profissional, um cinto que faça toda a diferença. Você compra o vestido mais lindo do mundo e depois da segunda vez que usa, já tem certeza de que o mundo inteiro já te viu com ele e precisa urgente de um novo. A moda vem, a moda vai e acompanhar é quase um esporte. É de enlouquecer qualquer uma e do tipo de loucura que não tem fim. Repica o cabelo, pinta, faz franja, californiana, ombré hair, deixa crescer, volta à cor natural. Academia, dieta. E tudo isso pra quem? Tudo isso pra que? Pra ser melhor do que a menina que te olha torto, impressionar, pra não enjoar da imagem refletida no espelho, pra se sentir desejada pelos carinhas que se acham o máximo, mas são o mínimo. Se sentir melhor consigo mesma, talvez. Mas me diz, no final de tudo, no fim das contas, se sente mesmo? No dia seguinte da festa, depois do demaquilante, com o cabelo preso, essa é você. E ela é absurdamente linda, sem roupa enfeitada, sem forçar a barra, crua. Depois do banho, de cabelo ainda molhado, é o estado mais puro e sublime da beleza que quase todas insistem em esconder com quilos de pó corretivo e base. A triste verdade é que a gente passa a vida se maquiando, produzindo, mudando o cabelo e o guarda-roupa a todo instante, esperando pelo cara que ache tudo isso muito bonito, mas num domingo de tarde qualquer, te olhe de short, blusa branca e chinelo e confesse, meio sem jeito "Eu prefiro mil vezes você assim, de cara limpa."

Não se pede, não se implora.

"Amor não se pede, é uma pena. É uma pena correr com pulinhos enganados de felicidade e levar uma rasteira. É uma pena ter o coração inchado de amar sozinha, olhos inchados de amar sozinha. Um semblante altista de quem constrói sozinho sonhos. Mas você não pode, não, eu sei que dá vontade, mas não dá pra ligar pro desgraçado e dizer: ei, tô sofrendo aqui, vamos parar com essa estupidez de não me amar e vir logo resolver meu problema? Mas amor, minha querida, não se pede, dá raiva, eu sei. Raiva dele ter tirado o gosto do mousse de chocolate que você amava tanto. Raiva dele fazer você comer cinco mousses de chocolate seguidos pra ver se, em algum momento, o gosto volta. Raiva dele ter tirado as cores bonitas do mundo, a felicidade imensa em ver crianças sorrindo, a graça na bobeira de um cachorro querendo brincar. Ele roubou sua leveza mas, por alguma razão, você está vazia. Mas não dá, nem de brincadeira, pra você ligar pro cara e dizer: ei, a vida é curta pra sofrer, volta, volta, volta. Porque amor, meu amor, não se pede, é triste, eu sei bem. É triste ver o Sol e não vê-lo se irritar porque seus olhos são claros demais, são tristes as manhãs que prometem mais um dia sem ele, são tristes as noites que cumprem a promessa. É triste respirar sem sentir aquele cheiro que invade e você não olha de lado, aquele cheiro que acalma a busca. É triste amar tanto e tanto amor não ter proveito. Tanto amor querendo fazer alguém feliz. Tanto amor querendo escrever uma história, mas só escrevendo este texto amargurado. É triste saber que falta alguma coisa e saber que não dá pra comprar, substituir, esquecer, implorar. É triste lembrar como eu ria com ele. Mas amor, você sabe, amor não se pede. Amor se declara: sabe de uma coisa? Ele sabe, ele sabe."

Meu coração chora.

Depois de meses, eu me pego sentindo sua falta. Tenho pensado muito em você esses dias e não tenho certeza se estou com saudades ou sem algo melhor pra me ocupar os pensamentos. Como era bom o que a gente tinha. E eu queria ser telepata só pra saber se você pensa em mim, de vez em quando, lembra da gente também. Se foi tudo isso pra nós dois ou eu colori demais. E eu odeio essa tendência das histórias à virarem um nada. Eu odeio a transformação brusca da presença intensa em total ausência, sem que se tenha tempo de protestar ou período de adaptação. Acho injusto o amor ou amizade ser finalizada e levar com eles, de pirraça, os espaços pra qualquer outro tipo de relação. Conhecer uma pessoa incrível tão de perto e ver ela virando um estranho, tão de longe. Pensei, repensei, lutei muito pra não te mandar uma mensagem, singela, realmente sem segundas intenções. Relutei, porque pode parecer, pra muita gente, uma tentativa patética de reconciliação ou mendigagem de sentimento, minhas amigas desaprovam e porque, pior, pode parecer isso pra você também. Mas você sabe que pensar ou não pensar não adianta muito, porque não costumo deixar passar vontade e você me conhece bem. Então, queria te dizer que virei a noite lendo um livro e o personagem principal me lembra tanto você, é incrível. Ele é você e me faz ter tanta saudade de tudo. Mas isso já não é da sua conta, enfim. Saudade não é vontade de tentar de novo e eu tô só dando um oi, que é pra você não sumir assim. Pra vê se lembra o que um amigo faz e, de vez em quando, vem contar a vida pra mim. Um oi, você sabe, só pra lembrar que eu tô aqui. Amigos, não era isso?

Não é deixar pra trás, é viver!

A gente tem mania de dividir tudo em passado, presente e futuro. Mas, e se por algum motivo não fosse mais assim? Se a contagem de tempo simplesmente parasse de acontecer. Se o que você lembra e o que você consegue imaginar não estivessem mais tão longe. Parece loucura? Talvez até seja. Mas é pensando assim que tenho levado os dias dos dois últimos meses na minha vida. Comecei riscando a palavra perder do meu dicionário. Fica mais fácil fazer quando finalmente entendemos o real motivo da nossa existência. Não estamos aqui pela eternidade, e sim pela aventura de sentir coisas diferentes e inexplicáveis todos os dias. Perder faz parte disso. Talvez seja até o momento mais importante. Quando pra conseguir em frente, precisamos respirar e parar de olhar pra trás e pra frente. Olhar pra dentro. Comecei a agradecer todos os dias. Não sou religiosa, mas acredito que existe alguma coisa maior do que o pouco que conseguimos entender. Então, seja lá o que ou quem for, obrigada por cada lágrima, sorriso e decepção que me trouxeram até aqui. Tenho certeza que sem aquelas noites sem dormir e textos escritos em vão, eu não teria entendido isso tão cedo. Dei um tempo de tudo aquilo que me fazia triste. Foram sei lá, duas semanas de introspecção. Entendo como o meu corpo e alma reagiriam a tantas mudanças. Disseram que eu já não era mais a mesma. E eu só conseguia pensar: quanto tempo será que eu precisar pra entender e aceitar isso? Abri a porta do meu coração. Foda-se se isso algum tempo depois me faria parecer (e fez) mais uma garota apaixonada dizendo coisas previsíveis pra alguém. O amor era a chave. E então, as coisas que vivi, os caras que beijei e as palavras que nem cheguei a ouvir pararam de ficar para trás. Agora, as lembranças estão comigo cada vez que abro os olhos de manhã. Quando não deixo pra depois e faço questão de dizer ou ouvir. Quando uma boa notícia me faz querer gritar da janela. Quando ligo a televisão pra ouvir a voz de alguém em casa. Quando acordo no meio da tarde pensando que os últimos meses foram um sonho. Quando durmo falando com alguém no telefone. Quando coloco fotos no mural. Quando beijo ele e sinto que meu peito vai explodir. Quando enfim, sou feliz.

Só se for por amor.

Antigamente eu me desesperava. Queria dizer "Ei, peraí, fica mais cinco minutinhos. Deixa eu mostrar o quanto sou engraçada. Porque eu sou, sabia? Sou muito divertida! Não tive tempo de mostrar tanta coisa, toma um café e espera?". Ficava me culpando por meses qualquer fim que não partisse de mim. Qualquer fim antes que eu pudesse fechar o ciclo de me encantar-gostar-apaixonar-enjoar. Que afronta pular fora antes do meu tempo! Ainda não pude ser carinhosa, não tinha tido oportunidade de ser cara de pau e louca, como você gosta. Não deu pra socializar com seus amigos chatos, mas eu vou tentar, senta aí um pouco. E queria perguntar por que eles estavam cruzando a porta. O que eu fiz de errado, o que eu fiz de certo, pra eu mudar e ninguém mais sair assim. O que eu não precisava ter dito e tudo que eu não disse e precisava ser ouvido. Fui demais, de menos? Sufoquei, deixei muito solto? Fui muito mais ou menos? Qual é, tem que ter um motivo e eu merecia saber qual era. Era o mínimo. Em outro tempo eu era exatamente assim. Me vestia de erro e tentava freneticamente ser perfeita pra um próximo amor, enquanto meu TOC de mexer no cabelo ia se agravando, porque ser perfeita é difícil demais e as pessoas continuam indo embora, sem parar. E fazer força pra ser espontânea me parece tão automático, que eu não sabia mais o que fazer, mas precisava continuar fazendo. Hoje não! Se for embora, já foi tarde. Chega de perder meu tempo e desperdiçar tudo que eu me esforço tanto pra fazer bem com quem tá comigo olhando pro relógio. Se não tive do meu lado de corpo, mente e coração, te levo até a porta, te convido a sair. De coração, é um favor que me faz. Não vou dizer que sou super bem resolvida e que assisto essa cena sorrindo e tendo certeza que o problema é unicamente dele. Não posso evitar perguntas passando pela minha cabeça, nem a sensação de ter sido metade de tudo que eu poderia ser ou menos que isso. A sensação de que eu podia ter feito tão melhor, que me persegue. Mas não precisa ter um alguém errado, algumas histórias só não são feitas pra durar e eu sei. Tudo que eu podia ter sido ou feito só ia adiar o fim e prolongar a dor. Então mantenho a porta aberta e vou tentando me curar da mania de mexer freneticamente no cabelo enquanto tento ser perfeita e finjo que não me importo. Porque se alguém ficar, tem que ser por mim, desse jeito, sem tirar nem por! Tem que ser assim, de uma forma sincera, pelo mesmo motivo que eu fico: Por amor.

Não dá pra negar.

Eu sempre fui metódica e inconsequente, por mais contraditório que isso pareça. Sempre soube o que devia ser feito de trás pra frente, mas sempre ignorei o mundo e todos os conselhos, porque eu queria fazer e ponto, isso me bastava. Amanhã é outro dia, não é? E ficava entregue aos meus impulsos até quando a pergunta "Tá valendo a pena?" fosse respondida por um "Não!" imediato. Muitos planos na gaveta, mas sempre procurei não jogar em ninguém o peso deles, até porque ninguém nunca mereceu ser o cara dos meus planos, vale a pena frisar. Ou, pra não ser injusta, nunca tive sintonia com os bons candidatos, tenho essa pré-disposição a quem vá me enlouquecer em pouco tempo. Minha amiga me disse que o meu tipo é gente problemática e eu não pude negar, ela tava certa. Por algum motivo que eu desconheço, trago escrito na testa essa minha preferência por relacionamentos, programas a dois e todo esse mimimi. Prefiro mesmo e isso assusta, eu sei. Mas se eu não soubesse segurar o tranco de ser só, estaria namorando por conveniência ou carência há muitos anos, mas isso ninguém vê. Ouvi muitas vezes a mesma coisa, mesmo argumento, uma fala oficial que me dá sono. Mas queria dizer dessa vez que se eu fosse mesmo pequena, indefesa e assustada, eu quem iria fugir.E isso, ninguém pode dizer que eu fiz.